Notícias do ParlamentoPolítica

Bancada feminina da Câmara de Petrolina tem cortado um dobrado para se fazer ouvir

Com ampla maioria formada por homens, são apenas 3 as mulheres que ocupam cadeiras na Casa Plínio Amorim.

POR NOTÍCIAS DO PARLAMENTO – Uma é campeã de mandatos e sente às vezes que tem que falar mais firme para se fazer ouvir. As outras duas são marinheiras de primeira viagem, mas com experiências de vida que têm feito a diferença no plenário da Câmara de Vereadores de Petrolina, maior colégio eleitoral do sertão e quinto maior de Pernambuco. Estamos falando das vereadoras Maria Elena de Alencar (União Brasil); Samara da Visão (PSD); e Lucinha Mota (PSDB), três mulheres que formam o ‘trio de superpoderosas’ na Casa Plínio Amorim na atual legislatura.

Mesmo sendo maioria da população e do eleitorado da ‘capital do sertão de PE’ , somente 3 das 23 cadeiras da Câmara de Petrolina são ocupadas por mulheres. A mais experiente, com seis mandatos e agora suplente de deputada estadual na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), é a vereadora Maria Elena de Alencar que integra o grupo do prefeito Simão Durando no legislativo local. Ela disse a nossa reportagem que lamenta Petrolina ter tão pouca representatividade feminina nas cadeiras do poder legislativo da cidade.

Vereadora Maria Elena (foto nilzete brito divulgação

“Sabemos que não é nada fácil, mas precisamos nos fazer representada. Estou no meu sexto mandato e sinto que quando estamos com mais mulheres nessas cadeiras, as nossas pautas são mais fáceis de estarem presentes. Já vivenciei um momento assim nesta Casa e espero que a Casa Plínio Amorim possa contar com mais mulheres eleitas neste ano de 2024”, expressou a vereadora que é presidente da Comissão da Mulher na Casa, tendo as colegas Samara e Lucinha como relatora e secretária do colegiado, respectivamente.

“Temos buscado incentivar no âmbito de nossas discussões dentro da Comissão, às mulheres a serem parte importante neste parlamento”, completou Mari Elena.

Sua colega Samara da Visão, da bancada da oposição e estando no primeiro mandato, reforça essa pauta de mais mulheres na política e nos legislativos municipais para que a população se sinta representada em sua grande maioria. Samara já estreou no cargo sendo a oradora da cerimônia de diplomação dos vereadores e vereadoras eleitos e reeleitos em 2020 e encarou com firmeza esse primeiro desafio. Parece esse ter sido o primeiro de muitos desafios que têm pautado esse primeiro mandato da parlamentar.

“Ao longo desses anos de mandato, tenho procurado ser a voz ativa da população na Câmara, sobretudo, do povo da área irrigada que é uma população sofrida, apesar de ser responsável por grande parte de nossa riqueza. E contemplo como uma vitória de nosso mandato junto com o apoio do deputado Lucas Ramos (PSB) ainda no governo do ex-governador Paulo Câmara, PSB, que elaborou e licitou a implantação das rodovias que hoje a gente contempla sendo entregues, uma obra de qualidade, melhorando a mobilidade, o direito de ir e vir. Eu moro na área irrigada e sei como era difícil essa mobilidade”, disse Samara se referindo às conquistas das PEs 638 e 639 entregues por completo na semana passada pela governadora Raquel Lyra, PSDB, e que inseriu a pedido das lideranças locais, a proteção dos canais para evitar novos acidentes nas estradas dos núcleos irrigados beneficiados pelas novas rodovias.

Outra pauta de Samara é a saúde que enfrenta na cidade e especialmente na região irrigada, segundo a vereadora, um descaso por parte da administração do prefeito Simão Durando, do União Brasil.

Samara da Visão, vereadora PSD (foto divulgação)

“Desde o começo do nosso mandato que tenho feito apelos, solicitações, despachado com secretários, mas nossa saúde continua esquecida. Postos de saúde deficitários, atendimento estendido negado para a população que trabalha nas áreas irrigadas. São problemas que só se multiplicam sem que o povo que sustenta a riqueza de nosso município, possa ter seus direitos garantidos”, lamentou Samara que também preside a Comissão de Direitos Humanos do parlamento petrolinense.

A mais nova do trio de ‘superpoderosas’ na Câmara de Petrolina é a vereadora Lucinha Mota, também da oposição, que teve que esperar quase três anos para garantir na justiça eleitoral a sua vaga na Casa Plínio Amorim. Ela foi uma das mais votadas em 2020 estando no Psol na época e entrou na justiça contra o partido Avante que após juntar provas, Lucinha acusou a sigla de fraudar a cota de gênero na disputa eleitoral.

A justiça acatou e anulou todos os votos do Avante em Petrolina, só que o vereador eleito Júnior Gás recorreu para o TRE no Recife e para aguardar o resultado do recurso, no mandato. Somente no final do ano passado, a segunda instância confirmou a perda dos votos e retirada de Júnior Gás da cadeira, dando ao Psol a vaga como a maior sobra dos votos para o legislativo em 2020. Lucinha, mesmo estando em outro partido, conseguiu a vaga que vem sendo motivo de recurso do Psol, mas a vereadora se mantém firme no mandato e não tem estranhado a cadeira não.

Lucinha Mota, vereadora PSDB Petrolina (foto nilzete brito – cmp- divulgação)

“Meu maior desafio não é exercer o mandato, mas sim a falta de diálogo e de habilidade política da atual gestão municipal. Para aplicar melhor os recursos públicos, seria necessário uma conversa ampla entre os poderes e a sociedade civil, mas logo que assumi durante as votações da LDO e da LOA, percebi que esse é um governo autoritário”, disparou a vereadora.

Ela listou suas prioridades em 2024 para continuar atuando em defesa de quem a colocou na cadeira de vereadora, a exemplo da fiscalização da correta aplicação dos recursos públicos, o enfrentamento à discriminação contra as mulheres e propor projetos de cunho social na área de habitação, educação infantil, segurança pública, entre outros enfrentamentos.

“Sempre estive e continuo estando disposta a dialogar com essa gestão tendo como objetivo de encontrar as melhores soluções para reduzir as desigualdades sociais e a falta de oportunidades, garantindo uma vida melhor para a nossa população”, concluiu a vereadora Lucinha Mota que a partir de março passou a integrar a Comissão da Mulher da Câmara de Petrolina como secretária do colegiado.

 

 

 

 

Cinara Marques, redação Tribuna Nordeste 

Tags

Cinara Marques

Página do Portal Tribuna Nordeste que visa mostrar notícias diárias da região com foco nos estados de PE, BA e PB, Vale do São Francisco, Petrolina/PE, Juazeiro/BA e o que for importante como informação para o Brasil e o mundo. Acesse tribunanordeste.com.br e fique sempre bem informado. Mande sua sugestão no 81 9 9251-9937 ou [email protected] .

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LUMOS
%d blogueiros gostam disto: